Cheguei em junho de 2000 em São Paulo em cima de um caminhão de trigo, e hoje (2018) tenho 35 anos sou Coach e Diretor de Negócios e Inovações em uma Consultoria de Tecnologia muito respeitada, lidero uma equipe de Vendedores, Headhunters e Consultores de Tecnologia.

No início eu me considerava um homem de sorte, por estar sempre no lugar certo e com as pessoas certas no momento em que as oportunidades de carreira apareciam em minha vida.

A questão é que eu sempre quis saber por que algumas pessoas conseguem e as outras não? Por que eu tirava notas boas na escola e as outras crianças não? Por que, mesmo saindo do zero eu consegui comprar um carro com 18 anos, eu consegui fazer faculdade, ajudar minha família nos momentos em que eles precisaram e as outras pessoas não?

Então, passei a me sentir culpado por ter uma ótima carreira, e as outras pessoas não. Foi uma longa jornada, passei por depressão, problemas de saúde e quando um amigo ficava desempregado eu me sentia muito mal, pois por mais que eu tentasse ajudar eu não conseguia. Melhorei muito ao longo do tempo passando por processos de coaching (Com minha esposa) e meditando. Sem Coaching e Meditação eu não teria conseguido chegar até aqui, mas as fichas começaram a cair e as respostas começaram a surgir, quando eu conheci a Constelação Familiar Sistêmica.

Com as Constelações eu descobri duas respostas simples para todos os meus por quês. A primeira resposta foi Talento, e a segunda resposta foi Inovação.

Por mais simples e óbvio que pareça ser, eu só entendi a essência destas duas palavras quando comecei a olhar para elas do ponto de vista Sistêmico, e isto se deu através de sessões de Constelação Familiar Sistêmica.

O mais incrível é que pessoas de sucesso não são mais Talentosas ou Inovadoras que as outras, na verdade Talento e Inovação são componentes registrados na alma e no DNA de cada ser humano, bastando apenas aprender a acessar. Quando acessamos nosso potencial interno nos tornamos incansáveis e plenos.

Mas o que são as Constelações Familiares Sistêmicas?

As Constelações são dinâmicas terapêuticas criadas pelo alemão Bert Helinger. Estas dinâmicas conseguem identificar as influencias que um Sistema Familiar exerce sobre um indivíduo. Eventos ocorridos em nosso sistema familiar (pais, avós, bisavós e até tataravós), podem acarretar em doenças, depressões, problemas financeiros, dificuldades na carreira, relacionamentos etc … Quando um indivíduo possui um problema qualquer, poderá através de uma constelação identificar a causa e encontrar soluções eficientes para a vida pessoal e profissional.

Utilizada em empresas, as Constelações permitem avaliar as relações sistêmicas entre departamentos, produtos, marca, projetos, clientes, funcionários e até mesmo ex-funcionários. Hoje em dia já é possível validar Pitchs de Start-ups, estratégias e modelos de negócios completos de maneira bastante eficiente.
Em relação a carreira, as constelações permitem avaliar nossa relação pessoal com nossa carreira, empregadores e dinheiro, buscando soluções para nossa carreira atual ou para nossa futura carreira.

O que aprendi sobre Talento
O Talento é um dos componentes sagrados que todo ser humano carrega. Herdamos nossos talentos de nosso sistema familiar e quando conseguimos acessar esta herança, ganhamos força, energia e alegria para trabalhar e criar resultados extraordinários com o fruto de nosso trabalho. Quando conseguimos acessar nosso verdadeiro talento, nos sentimos plenos e felizes. Às vezes nos buscamos uma competitividade de mercado copiando o talento de alguém, então em algum momento as coisas começam a não dar muito certo e se por acaso as coisas dão certo, nos sentimos cansados e desmotivados, pois por algum motivo nossa alma nunca irá mentir sobre algo que realmente nos faz bem ou não.

O que aprendi sobre Inovação
Nos cursos e livros sobre Inovação, aprendi que inovamos quando criamos algo que resolve um problema de um nicho da sociedade. Normalmente este problema nunca foi resolvido antes, então, hoje em dia, uma solução inovadora surge através de uma Start-up e esta começa a crescer rapidamente, atraindo cada vez mais clientes e investidores. Então, ficava evidente, pelo menos para mim, que inovação consistia em ajudar as pessoas.
Em uma das primeiras sessões de Constelação Sistêmica que eu assisti, facilitada por minha professora e amiga Simone Arrojo, notei que a cliente citava por diversas vezes que gostava de ajudar, gostava de colaborar, gostava que contribuir e que por mais que ajudasse não se sentia recompensada… Então, em algum momento a consteladora fez a seguinte pergunta para a cliente: Quem você tentou ajudar e não conseguiu? Uauuu, a cliente começou a chorar e eu confesso que na hora não entendi nada, então, com o desenrolar da constelação pudemos perceber o quanto aquela pessoa projetava a necessidade dela em ajudar os próprios pais nos clientes. Inconscientemente, quando ela tentava ajudar alguém estava projetando a figura do pai ou da mãe, então naturalmente ela não sentia o reconhecimento que tanto desejava, pois nunca um estranho iria satisfazer o reconhecimento que ela esperava dos pais.
Inovar é estar a serviço da sociedade. Quando projetamos nossos anseios pessoais corremos o risco de nos colocar a serviço de nossa família ou do dinheiro, então a sociedade e/ou nossos clientes não sentirão empatia por nossos serviços prestados e por melhor que sejam nossas ideias elas nunca ganham força para conquistar o mercado.

Por que Talento e Inovação são a alma do negócio?
Quando assistimos as constelações familiares, dá se a impressão que as empresas ou a nossa carreira (Que também pode ser um negócio) possuem uma alma. Esta alma possui sentimentos, capacidades, comportamentos e valores que são percebidos pelos clientes e pela sociedade. Quando nos conectamos com nosso real talento, qualquer negócio que possamos executar irá ganhar força e quando nos colocamos a serviço da sociedade, nossos clientes conseguem enxergar nosso valor agregado e o fluxo da prosperidade começa a funcionar. Sem a intensão de obtermos dinheiro ou reconhecimento, inovamos quando nos colocamos a serviço de algo muito maior que o dinheiro. Como diria a minha amiga, consteladora, e Guru Alessandra Miranda, abrimos o nosso receptor para receber do Universo todo o nosso merecimento.
Organizações que não olham para estas questões, tendem a perder a identidade deixando de atrair, manter e motivar os talentos necessários, seguindo pseudo-tendencias de mercado que talvez, faça muito sentido para outras empresas. Quando uma organização perde a identidade, perde a força, os verdadeiros talentos vão embora e coisas simples deixam de funcionar.

Minha dica para você: Conecte-se com a Alma do Negócio.

Texto de Autoria do Douglas Braga, Coach, Diretor de Negócios e Inovações da Global TI e Voluntário do Projeto Joule.

Dica do Mentor: Douglas Braga
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *